Que bom ver voce por aqui! Deus o abençoe.

"O Senhor teu Deus esta no meio de ti,"

Que conforto maravilhoso saber que Deus esta em nosso meio.
Foi o que Cristo ensinou ao seus discipulos na narrativa de Mateus 8. 23 - 27.
Se os discipulos realmente vivessem a fé, não se intimidariam com a tempestade
que surrava o barco; a presença de Cristo, mesmo dormindo seria o bastante para
encorajar os corações daqueles homens.

Postagens Recentes

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

"

quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Prostitutos Cultuais e Mercadores da Fé


João A. de Souza filho
Eu estava tentando encontrar um adjetivo para qualificar os atuais cantores e pregadores que cobram elevadas somas em dinheiro para pregar ou cantar nas igrejas e em conferências promovidas por evangélicos, e achei que “mercador da fé” não é um adjetivo apropriado, porque é simples demais para nominar tais pessoas. Pois bem. Vejo esses exploradores da boa-fé evangélica como prostitutos cultuais – que é a tradução da versão atualizada – para os que se prostituíam junto aos templos pagãos e que depois passaram a se prostituir diante do templo do Senhor em Jerusalém. Porque os prostitutos (as) cultuais mencionados na Bíblia exploravam os que se dirigiam ao templo para adoração oferecendo-lhes um pouco de orgia – orgia sexual revestida de espiritualidade, como alguns desses a que me refiro que falam línguas, profetizam, oram pelos enfermos, são místicos e super espirituais... Mas orgiofantes (como os sacerdotes que prestavam culto a Dionísio).
Os prostitutos e prostitutas cultuais, comuns nos templos pagãos passaram a conviver com os adoradores junto ao templo de Jerusalém, indicativo de uma deformação espiritual da nação de Israel. Não estou afirmando que é comum tais pessoas se prostituir de verdade, em orgias sexuais; estou afirmando, isto sim, que sempre que uma pessoa se afasta de Deus, comete prostituição com outros deuses – fato mencionado pelo próprio Deus em várias passagens do Antigo Testamento. Em Ezequiel 16 ele compara Israel a uma menina, que é cuidada por Deus, adornada e preparada para ser esposa, mas se prostitui com os povos vizinhos.
Deus se antecipou ao que poderia acontecer e recomendou a Moisés: “Das filhas de Israel não haverá quem se prostitua no serviço do templo, nem dos filhos de Israel haverá quem o faça... Não trarás salário de prostituição nem preço de sodomita à Casa do Senhor, teu Deus (Dt 23.17-18).
O que se vê hoje no Brasil é uma orgia espiritual, uma masturbação coletiva praticada por cantores e cantoras, pregadores e pregadoras, que não conseguiram fazer sucesso no mundo e encontraram na igreja um filão de negócio; o caminho para o enriquecimento à custa da espiritualidade dos irmãos.
Imagine o Lázaro da Bíblia, que Jesus ressuscitou dos mortos gravando seu cd e saindo pelo mundo a pregar nas igrejas, usando os recursos para comprar bens e imóveis em Atenas, Roma e Jerusalém. Imagine Dorcas, relatando sua ressurreição e insinuando aos irmãos por onde pregava que precisava de dinheiro para comprar máquinas de costura a fim de ajudar os pobres com maior eficácia, lucrando com a bênção alcançada. Eles seriam excluídos do rol de membros do céu pelos apóstolos. Pois sei que esses excrementos espirituais – e não há palavra melhor para descrever tais pessoas – cobram preços exorbitantes para pregar e cantar. Eu estava numa cidade pregando o evangelho e em várias cidades daquele Estado os irmãos se mobilizavam para ouvir o ex (que deve ter fracassado no mundo) cujo preço varia de 20 a 35 mil reais por apresentação. Este cantor que explora a espiritualidade do povo deve ganhar, pelo menos, com a agenda cheia em torno de cem mil reais por semana! Sim, porque fazem sucessos os ex-, sejam ex de quaisquer espécies. Ex que tocou na famosa banda do mundo; ex- que se prostituía com drogas, mas agora se prostitui com dinheiro. Prostituem-se com a fé. Sim, porque quais prostitutos cultuais do AT usam da espiritualidade para fazer orgia com o povo com o fim de levar o povo a se alegrar, enquanto eles ficam ricos.
Uma denominação pentecostal nutriu, alimentou e criou um pregador que cobra o exorbitante preço de quinze mil reais por pregação e nunca tomou uma atitude corretiva e disciplinar quanto a seu enriquecimento e vida pessoal; ao contrário, alimenta o sucesso desse mercador de dons. Balaão se sentiria envergonhado!
Assim, quando viajo pelo Brasil sinto no ar o odor fétido que eles deixam por onde passam; o odor da prostituição espiritual, o cheiro nauseabundo que costumam exalar os espiritualmente mortos. Que se prostituem espiritualmente e que levem pastores, líderes e povo à prostituição com eles é inegável, e não é de se duvidar de que se prostituam literalmente em seus confortáveis quartos de hotel. Pregadores e cantores que fazem exigências incomuns; que não aceitam fazer uma refeição na casa de irmãos; apenas em restaurantes que servem a La Carte. Que não se contentam com os bons hotéis e se não houver os melhores, recusam-se participar de eventos a menos que suas exigências sejam atendidas.
Os culpados são os líderes que atraídos pela ganância financeira esperam obter lucros com os gananciosos. Certamente porque muitos pastores, apóstolos e líderes se prostituíram espiritualmente, empolgados com as riquezas deste mundo, sonhando com mansões no litoral brasileiro e nas famosas cidades dos Estados Unidos.
Que posso dizer? Afirmar que alguns desses pastores que apóiam tais cantores e pregadores, juntamente com estes sejam descendentes de Balaão – que se prostituiu e usou de seus dons para ensinar Balaque a armar ciladas para os filhos de Israel – seria ofender o profeta do Antigo Testamento, que por seu pecado foi morto por Josué. Quem sabe possuem o DNA de Judas, ou são da mesma linhagem espiritual que vendem o nosso Senhor em troca das benesses de Mamom. Pedro e Judas descreveram tais cantores, pregadores e pastores com adjetivos pouco recomendáveis, afirmando que estes “andam em imundas paixões e menosprezam qualquer governo. Atrevidos, arrogantes, não temem difamar autoridades superiores... Considerando como prazer a sua luxúria carnal em pleno dia, quais nódoas e deformidades, eles se regalam nas suas próprias mistificações, enquanto banqueteiam junto convosco; tendo os olhos cheios de adultério e insaciáveis no pecado, engodando almas inconstantes, tendo coração exercitado na avareza, filhos malditos; abandonando o reto caminho, se extraviaram, seguindo pelo caminho de Balaão, filho de Beor, que amou o prêmio da injustiça... Esses tais são como fonte sem água, como névoas impelidas por temporal. Para eles está reservada a negridão das trevas”
Por mistificações o apóstolo está se referindo aos que usam dos dons espirituais para se sobrepor aos demais; eles têm dons, são místicos e falam como se uma nuvem de transcendência divina repousasse sobre eles.
Faz-se necessária uma limpeza na igreja, a Casa de Deus, como fizeram Asa e Josafá. Asa tirou de cena sua própria mãe e “removeu os prostitutos cultuais” que usavam o templo como local de prostituição. Josafá ainda precisou intensificar a reforma, porque, de tempos em tempos os aproveitadores da boa vontade do povo; os exploradores da espiritualidade das pessoas, tais como eram os filhos de Eli aparecem na igreja de Deus (1 Rs 15.12; 22.47).

Uma igreja rameira serve de alcova para os exploradores da espiritualidade do povo. E Deus haverá de limpar sua igreja. 

domingo, 7 de setembro de 2014

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

quarta-feira, 30 de julho de 2014

domingo, 6 de julho de 2014

Com Jesus no barco...

E levantou-se grande temporal de vento, e subiam as ondas por cima do barco, de maneira que já se enchia. Mc 4:37
Os discípulos de Jesus, homens treinados, estavam sem entender o que acontecia. Apesar de seus recursos, seu conhecimento e treinamento, o barco que estavam, agora era sacudido e invadido pelas ondas do mar. Estavam impotentes diante do poder da natureza. Eles nada podiam fazer para evitar que se afundasse. São diversas situações que parecem atuar de forma semelhante no curso da nossa existência. Essas ondas podem se levantar em locais que já achávamos que estávamos seguros. Quantos não acordam e percebem a tempestade de inseguranças que se passa na vida conjugal. Trovoadas, ventos fortes soprando em relação aos filhos. Céu escuro de problemas no trabalho, desemprego, incertezas, medo. Há tempestades de problemas que parecem que vão nos afundar. Ondas de todo lado, família, trabalho, igreja. É preciso clamar pela ajuda de Jesus. Ele estava calmo, sereno e tranquilo naquele barco. Ele tem todo o poder. "E ele, despertando, repreendeu o vento, e disse ao mar: Cala-te, aquieta-te. E o vento se aquietou, e houve grande bonança." Mc 4:39. Não há poder maior do que aquele que está no nome de Jesus. Quando se clama por este nome, o céu e a terra param. O mar e o vento se calam. Até as hostes do mal se submetem. Porque este é o nome poderoso do nosso Deus. "E sentiram um grande temor, e diziam uns aos outros: Mas quem é este, que até o vento e o mar lhe obedecem?" Mc 4:41. Confiar em Deus é entregar o barco do nosso ser, ao comando de Jesus Cristo, o nosso salvador. Lembre sempre, com ele no barco, ainda que venham as tempestades, ele tem o poder de calar o vento e o mar. 

Neste dia, pense nisto! Deus o abençoe.

terça-feira, 17 de junho de 2014

Arrebatamento!!! Você esta preparado?

A PROMESSA DO BATISMO COM O ESPÍRITO SANTO

1.       At 1.5 “Porque, na verdade, João batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo, não muito depois destes dias.”

2.       Uma das doutrinas principais das Escrituras é o batismo no Espírito Santo (ver 1.4 nota sobre “batismo no”, ao invés de “batismo com”, o Espírito Santo). A respeito do batismo no Espírito Santo, a Palavra de Deus ensina o seguinte:

a.       O batismo no Espírito é para todos que professam sua fé em Cristo; que nasceram de novo, e, assim, receberam o Espírito Santo para neles habitar (ver o estudo A REGENERAÇÃO DOS DISCÍPULOS

b.       Um dos alvos principais de Cristo na sua missão terrena foi batizar seu povo no Espírito (Mt 3.11; Mc 1.8; Lc 3.16; Jo 1.33). Ele ordenou aos discípulos não começarem a testemunhar até que fossem batizados no Espírito Santo e revestidos do poder do alto (Lc 24.49; At 1.4,5,8).

c.        O batismo no Espírito Santo é uma obra distinta e à parte da regeneração, também por Ele efetuada. Assim como a obra santificadora do Espírito é distinta e completiva em relação à obra regeneradora do mesmo Espírito, assim também o batismo no Espírito complementa a obra regeneradora e santificadora do Espírito. No mesmo dia em que Jesus ressuscitou, Ele assoprou sobre seus discípulos e disse: “Recebei o Espírito Santo” (Jo 20.22), indicando que a regeneração e a nova vida estavam-lhes sendo concedidas (ver o estudo A REGENERAÇÃO DOS DISCÍPULOS). Depois, Ele lhes disse que também deviam ser “revestidos de poder” pelo Espírito Santo (Lc 24.49; cf. At 1.5,8). Portanto, este batismo é uma experiência subseqüente à regeneração (ver 11.17 nota; 19.6 nota).

d.       Ser batizado no Espírito significa experimentar a plenitude do Espírito, (cf. 1.5; 2.4). Este batismo teria lugar somente a partir do dia de Pentecoste. Quanto aos que foram cheios do Espírito Santo antes do dia de Pentecoste (e.g. Lc 1.15,67), Lucas não emprega a expressão “batizados no Espírito Santo”. Este evento só ocorreria depois da ascensão de Cristo (1.2-5; Lc 24.49-51, Jo 16.7-14).

e.        O livro de Atos descreve o falar noutras línguas como o sinal inicial do batismo no Espírito Santo (2.4; 10.45,46; 19.6; ver o estudo O FALAR EM LÍNGUAS).

f.         O batismo no Espírito Santo outorgará ao crente ousadia e poder celestial para este realizar grandes obras em nome de Cristo e ter eficácia no seu testemunho e pregação (cf. 1.8; 2.14-41; 4.31; 6.8; Rm 15.18,19; 1Co 2.4). Esse poder não se trata de uma força impessoal, mas de uma manifestação do Espírito Santo, na qual a presença, a glória e a operação de Jesus estão presentes com seu povo (Jo 14.16-18; 16.14; 1Co 12.7).

g.       Outros resultados do genuíno batismo no Espírito Santo são: (a) mensagens proféticas e louvores (2.4, 17; 10.46;  1Co 14.2,15); (b) maior sensibilidade contra o pecado que entristece o Espírito Santo, uma maior busca da retidão e uma percepção mais profunda do juízo divino contra a impiedade (ver Jo 16.8 nota; At 1.8 nota); (c) uma vida que glorifica a Jesus Cristo (Jo 16.13,14; At 4.33); (d) visões da parte do Espírito (2.17); (e) manifestação dos vários dons do Espírito Santo (1Co 12.4-10); (f) maior desejo de orar e interceder (2.41,42; 3.1; 4.23-31; 6.4; 10.9; Rm 8.26); (g) maior amor à Palavra de Deus e melhor compreensão dela (Jo 16.13; At 2.42) e (h)uma convicção cada vez maior de Deus como nosso Pai (At 1.4; Rm 8.15; Gl 4.6).

h.       A Palavra de Deus cita várias condições prévias para o batismo no Espírito Santo. (a)Devemos aceitar pela fé a Jesus Cristo como Senhor e Salvador e apartar-nos do pecado e do mundo (2.38-40; 8.12-17). Isto importa em submeter a Deus a nossa vontade (“àqueles que lhe obedecem”, 5.32). Devemos abandonar tudo o que ofende a Deus, para então podermos ser “vaso para honra, santificado e idôneo para o uso do Senhor” (2Tm 2.21). (b) É preciso querer o batismo. O crente deve ter grande fome e sede pelo batismo no Espírito Santo (Jo 7.37-39; cf. Is 44.3; Mt 5.6; 6.33). (c) Muitos recebem o batismo como resposta à oração neste sentido (Lc 11.13; At 1.14; 2.1-4; 4.31; 8.15,17). (d) Devemos esperar convictos que Deus nos batizará no Espírito Santo (Mc 11.24; At 1.4,5).

i.         O batismo no Espírito Santo permanece na vida do crente mediante a oração (4.31), o testemunho (4.31, 33), a adoração no Espírito (Ef 5.18,19) e uma vida santificada (ver Ef 5.18 notas). Por mais poderosa que seja a experiência inicial do batismo no Espírito Santo sobre o crente, se ela não for expressa numa vida de oração, de testemunho e de santidade, logo se tornará numa glória desvanecente.

j.         O batismo no Espírito Santo ocorre uma só vez na vida do crente e move-o à consagração à obra de Deus, para, assim, testemunhar com poder e retidão. A Bíblia fala de renovações posteriores ao batismo inicial do Espírito Santo (ver 4.31 nota; cf. 2.4; 4.8, 31; 13.9; Ef 5.18). O batismo no Espírito, portanto, conduz o crente a um relacionamento com o Espírito, que deve ser renovado (4.31) e conservado (Ef 5.18).

3.     BATISMO COM O ESPÍRITO SANTO (parte 1)

4.     VOCÊ DESEJA SER BATIZADO PELO ESPÍRITO SANTO DE DEUS?
5.     Primeira lição
6.    
Vou apresentar sobre a luz da Palavra de Deus, com explicações simples para que você venha ser iluminado por Deus. Peço a Deus, que venha abrir a mente de cada pessoa que deseja ser revestido do Espírito Santo para ser útil na Evangelização.
7.    
Tenha em mãos a sua Bíblia aberta . ( Mateus 3: 1 .12) leia com bastante atenção.
8.     Vemos João Batista, preparando o Caminho daquele que traria ao mundo uma nova vida,
9.     uma nova Aliança, uma nova doutrina de autoridade e poder: O Evangelho de Cristo.
10.  E as palavras de João Batista, era para que o povo viesse à conversão, ao arrependimento do pecado, voltar-se para Deus.
11.  Jesus veio até ele para ser também batizado (batismo feito pelo homem), João disse que não era preciso ser batizado por ele, mas Jesus lhes disse: Me batiza, é preciso, você compreenderá o porquê.
12.  João obedeceu e batizou Jesus, logo após desceu uma pomba, simbolizando o Espírito Santo sobre Ele, e uma voz dos céus se ouviu: Este é o meu Filho amado a quem tenho prazer (foi um Sinal para João).
13.  O ato de passar pelas águas é a atitude feita pelo homem, para testemunhar aos outros que se arrependeu e que voltou para Deus.
14.  O batismo com o Espírito Santo vem para selar , confirmar que você foi recebido como filho aprovado por Deus. Que estás preparado para ser útil para as obras de Deus.
15.  Jesus tinha trinta anos, preparado para testemunhar Deus entre os homens.
16.  O simples ato de passar pelas águas, não quer dizer que você já pode sair para fazer a obra pregando por aí sem ter autoridade de Deus. É preciso aprender com Cristo, ter uma vida que agrada a Deus, não uma vida de aparências, mas sincera para com Deus, separado do pecado. Com atos e atitudes testificando que Jesus reina sobre você. E quem vai fazer isso por você é Deus.
17.  Assim como fez com Jesus, um revestimento vindo dos céus : do Espírito Santo de Deus.
18.  Mas, preste atenção! Jesus já era maduro, crescido e obediente a Palavra do Pai.
19. 
Vamos a leitura de mais um texto que confirma o novo nascimento (João 3 ).
20. 
Na vida de Nicodemos temos a explicação de Jesus sobre o batismo com o Espírito Santo, que haveria de manifestar sobre nós.
21.  Não seria feita pelas mãos dos homens, o sinal que Nicodemos trazia em seu prepúcio, de pertencer a um povo de Deus. Um sinal físico trazido por Abrão, que simbolizava o futuro da nação, de homens e mulheres de Deus, pelo nascimento físico, uma grande família para Deus.
22.  Mas, o novo nascimento é o “sinal” no interior do homem feito por Deus.
23.  Nicodemos viu os sinais, curas e milagres que Jesus fez, pois viu que era a manifestação de Deus nEle.
24.  Jesus disse a ele que era preciso nascer de novo.
25.  Aprender com Jesus uma nova doutrina e esquecer os rituais do passado, que eram a sombra do tempo, hoje.
26.  O formalismo não tem ação nenhuma, é vazio e não há manifestação da presença de Deus.
27.  Era preciso uma unção de autoridade vinda da parte de Deus para que Nicodemos apresentasse uma obra perfeita, aprovada.
28.  Explica Jesus: A manifestação do Espírito Santo é como o vento, nós não vemos, mas sentimos a Sua manifestação. Não sabemos de onde veio, nem para onde vai, vento forte, vento suave. Assim são todos que são batizados com o Espírito Santo individualmente.
29.  Não há uma regra, nem tempo, nem como, não tem explicação como sermos batizados. O lugar e o tempo só saberemos quando estivermos preparado, esperando e desejando para receber força e poder de Deus.
30.  A manifestação dentro de nós é tremenda, que os que estão ao redor percebem pelos sinais. Pela transformação de vida, não somos os mesmos.
31.  Sentimos coragem, intrepidez, ousadia na Palavra, alegria, paz, gozo de salvar uma alma. Desejo imenso de ganhar almas, desejos tremendo de testemunhar Jesus em nossas vidas. Temos grande misericórdia pelos perdidos, assim como éramos antes de nos converter a Jesus (estes são os sinais do fruto do Espírito).
32.  Dons: são presentes de Deus. Incluindo línguas não aprendidas pelos homens, interpretar estas línguas misteriosas, curar, obras de maravilhas, exortar, profetizar, pastor, doutor na ciência, governos.
33.  Língua é sinal, porque precisamos nos santificar a Deus.
34.  Profetizar é para orientar, avisar, chamar atenção (tocar a trombeta). Atalaias, anunciar, (trazer uma Palavra).
35.  Nem todos são iguais, nem todos tem o mesmo dom. Ainda diz mais: Que devemos escolher os melhores dons para sermos úteis na obra de Deus. Escolher!!!
36.  Jesus é maravilhoso!…Temos o privilégio até para escolher o melhor.

37.  A PROMESSA DO BATISMO COM O ESPÍRITO SANTO (parte 2)

38. 
SEGUNDA LIÇÃO JO 14:12
39.  Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço, e as fará maiores do que estas, porque eu vou para meu Pai. E tudo quanto pedirdes em meu nome eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho. Se pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei. Tudo que pedires.
40.  O pedido que Jesus afirma é para realização da sua obra aqui na terra, para que o Pai seja glorificado. Agora leia novamente o primeiro versículo acima.

41.  Se me amais, guardai os meus mandamentos.

42.  E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre; O Espírito de verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habita convosco, e estará em vós.
43.  O Espírito Santo no coração morando em nós, o desejo de querer ser batizado, UNGIDO para ser útil, ter uma vida conduzida por Ele, depender dEle, confiar nEle, O Espírito é aquele que está ocupando aqui neste mundo o mesmo lugar de Jesus Cristo.

44.  Disse Jesus: não vou deixar órfão ( sozinhos) vou pedir ao Pai para enviar o Consolador, para ficar em vós para sempre.

45.  João. 15:26,27- Mas, quando vier o Consolador, que eu da parte do Pai vos hei de enviar, aquele Espírito de verdade, que procede do Pai, Ele testificará de mim.

46.  E vós também testificareis, pois estivestes comigo desde o princípio.

47.  O Espírito Santo: o Consolador, ajudador, aquele que avisa do perigo, exorta, conduz ao caminho certo, dá livramento, inspiração para evangelizar, para escrever, faz lembrar da Palavra de Deus para lutar contra o inimigo, coragem , autoridade para expulsá-lo das pessoas. É muito forte a Sua presença, Ele dá ousadia, ao mesmo tempo alegria, satisfação, gozo, paz, alegria em ver o resultado e a ação na obra de Jesus aqui na terra.

48.  Tudo que você pedir em Nome de Jesus, o Espírito Santo ajudará a ser realizado, para que o Nome do Filho seja Glorificado nos céus. Da mesma forma que glorificamos o Filho, agradamos a Deus. Precisamos dos Três em nossa vida aqui na terra.

49.  Porque sem Eles, nada vamos fazer, não aguentaremos a pressão dos demônios que estão reinando neste mundo.

50.  Por isso, é que precisamos de buscar, desejar muito para que Jesus nos mande para cada um de nós, o Espírito Santo, para fazer morada dentro de nós.

51.  ESPÍRITO SANTO

52.  PECADO CONTRA O ESPÍRITO SANTO

53. 
A DOUTRINA DE JESUS
54.  REVELAÇÃO DO PECADO CONTRA O ESPÍRITO SANTO
55.  Marcos. 1: 31 à 39- Entraram em Cafarnaum e, logo no sábado, indo Ele à sinagoga,(templo, casa de oração) ali ensinava.
56.  Jesus ensinava dentro dos templos, onde era de costume pregarem no sábado.
57.  Marcos 1:22 á 26- E maravilharam-se da sua doutrina,(novo Ministério) porque os ensinavam como tendo autoridade, e não como os escribas.
58.  E estava na sinagoga (Igreja) deles um homem com um espírito imundo, o qual exclamou,
59.  Dizendo: Ah! que temos contigo, Jesus Nazareno? Vieste destruir-nos? Bem sei quem és: o Santo de Deus.
60.  E repreendeu-o Jesus, dizendo: Cala-te, e sai dele.
61.  Então o espírito imundo, convulsionando, e clamando com grande voz, saiu dele.
62.  MC 1:27 E todos se admiraram, a ponto de perguntarem entre si, dizendo: Que é isto? Que nova doutrina é esta? Pois com autoridade ordena aos espíritos imundos, e eles lhe obedecem!
63.  (Nunca tinham visto doutrina igual a de Jesus, principalmente de expulsar demônios e curar os enfermos).
64.  MARCOS- 1:28 á 32-E logo correu a sua fama por toda a província da Galiléia. ( Que Ele curava todos os enfermos e expulsava os demônios).
65.  E logo, saindo da sinagoga, foram à casa de Simão e de André com Tiago e João.
66.  E a sogra de Simão estava deitada com febre; e logo lhe falaram dela.
67.  Então, chegando-se a ela, tomou-a pela mão, e levantou-a; e imediatamente a febre a deixou, e servia-os.
68.  E, tendo chegado a tarde, quando já se estava pondo o sol, trouxeram-lhe todos os que se achavam enfermos, e os endemoninhados.
69.  Marcos.1:33 á 34- E toda a cidade se ajuntou à porta.
70.  E curou muitos que se achavam enfermos de diversas enfermidades, e expulsou muitos demônios, porém não deixava falar os demônios, porque o conheciam.
71.  (Jesus sabia que os demônios eram mentirosos e enganadores e que não queriam ser expulsos daqueles corpos)
72.  MARCOS. 1: 39- E pregava nas sinagogas deles, por toda a Galiléia, e expulsava os demônios.
73.  Marcos- 3:11 á 15- E os espíritos imundos vendo-o, prostravam-se diante dele, e clamavam, dizendo: Tu és o Filho de Deus.
74.  Ele os ameaçava muito, para que não o manifestassem.( porque os demônios sabiam que Jesus era maior do que eles e tinham autoridade sobre eles, e os expeliam daquela casa)
75.  E subiu ao monte, e chamou para si os que ele quis; e vieram a ele.
76.  E nomeou doze para que estivessem com ele e os mandasse a pregar.
77.  Marcos- 3:15 E para que tivessem o poder de curar as enfermidades e expulsar os demônios.
78.  Marcos- 3:22 á 30- E os escribas,( estudiosos da Palavra) que tinham descido de Jerusalém, diziam: Tem Belzebu, e pelo príncipe dos demônios expulsa os demônios. E, chamando-os a si, disse-lhes por parábolas: Como pode Satanás expulsar Satanás?
79.  E, se um reino se dividir contra si mesmo, tal reino não pode subsistir;
80.  E, se uma casa se dividir contra si mesma, tal casa não pode subsistir.
81.  E, se Satanás se levantar contra si mesmo, e for dividido, não pode subsistir; antes tem fim.
82.  Ninguém pode roubar os bens do valente, entrando-lhe em sua casa, se primeiro não maniatar o valente; e então roubará a sua casa.
83.  Na verdade vos digo que todos os pecados serão perdoados aos filhos dos homens, e toda a sorte de blasfêmias, com que blasfemarem;
84.  Marcos- 3:29 Qualquer, porém, que blasfemar contra o Espírito Santo, nunca obterá perdão, mas será réu do eterno juízo.
85.  Marcos- 3:30 (Porque diziam: Tem espírito imundo…
86.  A maior blasfêmia é contra um servo de Jesus, cheio do Espírito Santo e dizer que ele tem espírito imundo, que expulsa os demônios porque serve Satanás.
87.  Pode um general debater com seus próprios soldados?… Não!…como ganharia a guerra, sem seus súditos?
88.  Numa guerra vence aquele que é MAIOR, MAIS PODEROSO.
89.  O NOME DELE É JESUS. E toma a casa do valente.
90.  Os fariseus e os escribas, eram na época os que prevaleciam na lei de Moisés,
91.  Mas Jesus não veio para tirar a lei, e sim cumprir a lei.
92.  Jesus queria é mudar os costumes deles, os preconceitos, e revelar a verdade para eles.
93.  Mas o que é a verdade?
94.  E porque o ministério de Jesus é diferente?
95.  O povo de Deus estava enganado espiritualmente, cego por um espírito maligno, a antiga serpente (Satanás), sofreu muito, mas esperava a promessa de Deus que chegariam para eles. Acreditavam em Deus! Mas o coração deles estavam duros, distantes, e não perceberam que Jesus é o Messias.
96.  Diferente da samaritana, que logo reconheceu o Messias.
97.  Eram todos egoístas e não queriam que ninguém tomassem seus lugares.
98.  Esperavam um rei, um governador para reinar o mundo terreno, físico.
99.  E Jesus vem para fazer um novo reino, o espiritual dentro de cada um deles.
100.               O meu reino não é deste mundo – O meu reino está em vós.
101.               Eles estavam fazendo uma rebelião contra o Mestre Jesus, por causa da sua nova doutrina, de curar e libertar os oprimidos e cativos de Satanás (expulsar os demônios, que são os anjos caídos juntamente com Satanás), que seria uma nova convocação para uma guerra espiritual. O Espírito Santo no homem, contra os espíritos enganadores de Satanás na terra.. Jesus estava cheio do Espírito de Deus. Isaías 11.1- Jesus estava procurando revelar-Se com sua doutrina, e os demônios sabiam disso. Que Jesus é o valente, que veio para derrotá-los.
102.               Porque a blasfêmia contra o Espírito Santo, é um pecado que não tem perdão?
103.               Porque eles estavam blasfemando contra o Espírito que estava dentro de Jesus.
104.               Diziam eles que Jesus expulsava os demônios com o poder do príncipe dos demônios. Mas nós sabemos que Jesus fazia isto com o poder do Espírito Santo de Deus. Então, está aqui a resposta do pecado contra o Espírito Santo.
105.               Marcos 3:30-PORQUE DIZIAM ELES QUE JESUS ESTAVA CHEIO DE DEMÔNIO.
106.               Eles não pecaram contra Jesus, mas pecaram contra aquele que estava em Jesus. Cheio do Espírito Santo.
107.               E muitos hoje têm feito o mesmo contra os homens de Deus, cheio do Espírito Santo, que têm autoridade para fazer a mesma obra de Jesus na terra.
108.               Dizendo: É uma doutrina de demônio!…

109.               Eles pecam contra o Espírito Santo.

Estudo feito por diácono Carlos 

Fazendo a nossa parte

Comente!

Veja os melhores videos gospel!

Loading...

Seguidores

Lembre-se sempre disto:

" O Deus Eterno sempre cumpre o que promete; ele é amoroso em tudo o que faz" ( Salmo 145.13b )

Follow by Email

Radio Missões Ide Semear